Tristeza não tem fim, felicidade sim!

Por vezes, a complexidades da tristeza com a felicidade ou vice-versa e muito contraria a uma vida cristã, achamos que com Jesus no barco não devemos ter medo, que o cajado é o que nos dá suporte e dentre outros exemplos que é dado na própria palavra de Deus.
Já escutei que a felicidade é uma constante em nossa vida e que a alegria seria um pico dessa tal felicidade que emana dentro do coração, que faz entender que no momento eufórico estamos felizes, estamos bem, estamos em paz e que estamos com Deus.
Tenho vivido um momento de reflexão profunda sobre essa tal felicidade e confesso que até agora não tenho nenhuma resposta concreta ou um pequeno caminho que posso entender. Alguns vão falar que a tal felicidade é: olhe para o sol, olhe o cara que não tem saúde, olhe para aqueles que estão passando fome e você vem dizer que ta sofrendo. Sofrendo nada, você tem tudo!
Acredito que tudo isso é uma idiotice muito, mais muito grande, o sofrimento ele é singular, a Bíblia é bem clara em dizer que Deus não coloca sobre os nossos ombros aquilo que não podemos carregar.
Quando alguém estiver triste, nunca diga nada para tentar confortar essa pessoa, apenas de um abraço e fique do lado dela. Odeio a idéia que todos têm uma saída para os seus problemas, e se você não consegue ajudar, então, não atrapalhe a vida dessa pessoa!
Vou tentando entender porque ainda existe a opressão, sendo ela recusada por Deus, no 1º testamento (Antigo Testamento) vemos com certa clareza que Deus ama os camponeses, os excluídos, já no 2º Testamento (Novo Testamento) Jesus ama os marginalizados, prostitutas e afins.
Eu não aguento mais a opressão, não aguento mais o fator do dinheiro falar mais alto do que a voz do que pede socorro, do que está sem esperança e Poe aquele que pede a morte por achar que essa é a melhor saída!

Tristeza não tem fim, felicidade sim!

Espero um dia escrever um texto diferente, espero, espero......

Fim temporário,

Sandro.

2 comentários:

Tatiana disse...

Segundo o primeiro filósofo ocidental de que se tem notícia, Tales de Mileto, a “felicidade do corpo consiste na saúde, e a do espírito, na sabedoria”. A Bíblia, regra de fé e prática dos cristãos, nos convida a servir “ao Senhor com alegria” e afirma que “o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz, e alegria no Espírito Santo”. Com relação a opressões é bem clara ao ilustrar que “os que esperam no Senhor renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão”. Ela ensina que, apesar das tempestades e injustiças, “não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força” e ainda convida: “vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”. Portanto, não acredito que um cristão deva compartilhar da idéia de que tristeza (com Z) não tem fim. Ao contrário, a felicidade e a alegria devem ser uma constante na vida cristã, bem como o fruto do espírito: “amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança”.

D. disse...

Essa é a frase mais verdadeira de toda a literatura musical de todos os tempos,eu nunca vi algo tão condizente com a realidade!!A felicidade é de fato uma anestesia da realidade que é a tristeza, essa anestesia dura temporariamente e quando ela passa volta, vemos o estado normal que é o da tristeza, o homem é triste e sofredor por natureza, e os que são felizes e alegres são aqueles que estão sob o efeito da tal "anestesia".
Na realidade o sofrimento é intrínseco à própria natureza, se observarmos com calma a vida que levam todos os seres vivos vemos que é uma constante injustiças e matanças.
Todos que param pra pensar, chegam ao pessimismo, infelizmente é assim...